CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS

domingo, 1 de março de 2009

A Lata de Biscoitos



Numa modesta aldeia de camponeses, várias famílias viviam em péssimas condições. Lutavam para sobreviver; plantavam numa terra mirrada, que pouco produzia e tentavam criar algum gado nas pastagens, quase sempre secas, daquele lugar quase ermo.

À entrada daquela aldeia passava uma estrada que saía de uma importante cidade. As pessoas da aldeia sentíam-se indignas de ir à cidade e tinham pouco ou quase nenhum contato com as pessoas de lá, que só conheciam de verem passar pela estrada. Até que um dia, uma grande catástrofe aconteceu por aquelas bandas e a aldeia foi varrida; a cidade suportou, afinal era guarnecida por muros e tinha abrigos seguros para os tempos de calamidade, eles também tinham por lá algumas outras provisões, como alimentos estocados, e puderam recuperar-se rapidamente após a catástrofe.

Um dia um homem ia passando pela estrada que saía da cidade e, à altura da aldeia, encontrou uma criança vestida de farrapos, muito suja e com a aparência de quem não se alimentava havia já algum tempo. O Homem aproximou-se e, notando que ela ardia em febre, tomou-a consigo e voltou para a cidade. Já recuperada, a criança teve que ser entregue a um orfanato, pois soube-se que apenas ela restara de sobrevivente dentre os moradores da aldeia.

Uma certa noite, no orfanato, houve uma entrega massiva de presentes. Vários pacotes chegaram e foram distribuídos entre as crianças. A pequena menina da aldeia recebeu uma lata de biscoitos, mas ela nunca havia visto algo igual e nem ao menos sabia o que eram biscoitos; mesmo assim ela ficou contente, e admirava os desenhos que haviam na lata.

Um pouco mais tarde, alguém que trabalhava ali viu como a menina se comportava com sua lata de biscoitos e perguntou-lhe se já havia comido algum. Ela respondeu que não, dizendo: "Não sabia que era algo de comer". Então abriram a lata, e a criança ficou mais feliz ainda. Com a boca cheia d'água ela olhava os biscoitos, seus olhos faiscavam e só havia alegria em seu rosto. Ela comeu, saciou-se e nunca mais esqueceu-se da alegria de ter recebido aquela lata de biscoitos.

É dizer: Saber o que fazer com o que recebemos, isto faz toda a diferença.

2 comentários:

Poe Fermento disse...

Ola !!!

Adorei os textos que encontrei em seu blog :)


Fazia tempo que não lia algo bom!

Me chamo Polly Prazer ! Sempre que puder dou uma passadinha para verificar os pots novos.

Até mais.

Isaac Marinho disse...

Seja bem-vinda!

O prazer é meu, Polly.

Bom saber que você gostou do que leu por aqui. Assim que puder estarei atualizando.

Obrigado por comentar.

Volte sempre. =)

Um abraço.

Contribua

pensador.info

deviantART

Parceiros

Divulgue!

create your own banner at mybannermaker.com!

Copie este código para exibir meu banner no seu site:

Livros que estou lendo...