CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS

domingo, 23 de maio de 2010

Em tudo por tudo



Tudo o que eu preciso 
É saber o que eu preciso 
Pra saber onde encontrar 
O que eu preciso saber.

Tudo o que eu faço 
É pensar no que eu faço 
Pra entender como farei 
O que eu preciso fazer.

Tudo o que eu quero 
É saber o que eu quero 
Pra escolher como alcançar 
O que eu preciso querer.


Nota: Experimente ler do último verso até o primeiro.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Não soube mentir



Eu não sei contar mentiras. Um dia eu quebrei um vaso e disse à dona: “Um amigo seu quebrou seu vaso…”. Como só eu e ela estávamos em casa, ela disse: “Foi você!”. E eu: “Pois é, mas não esqueça de que eu sou seu amigo…”. Rimos muito da minha cara de “sei que não vai colar…”. Daí ela saiu da sala por um instante e quando voltou trouxe uma bisnaga de cola, e colamos o vaso.

O tempo passou, mas eu não aprendi a contar mentiras. Um dia ela estava triste, parecia uma desvalida, e resolvemos sair pra passear. Conversávamos baixinho, na maior parte eu apenas escutava, e ela desmanchou-se em lágrimas enquanto lamentava sua infelicidade no amor. De repente ela gritou: “Ninguém me ama, ninguém me quer!”. E eu, arrancando algumas flores que pendiam do muro de uma casa, gritei para ela: “Um dos teus amigos te ama, te quer, e ele mandou entregar estas flores!”. Ela as recebeu sorrindo, e enquanto se desfazia das lágrimas que ainda lhe sobraram, disse: “Mas só pode ser você!”. E eu, com minha cara de “pelo menos uma vez na vida eu consegui fazer isto!”, confirmei tudo, e começamos a namorar.

Mas contar mentiras não era o meu forte... e um dia ela me pegou abraçando uma outra garota, que eu acabara de conhecer e de quem logo me afeiçoara. Ela não aceitou explicações naquela hora, apenas tocou no meu ombro e, quando me virei para ver, tomei um belo tapa. Logo em seguida ela correu feito uma louca, nem se preocupou com trânsito nem nada, me forçando a ir em seu encalço. Estávamos oficialmente "brigados".

Quando ela me deu alguma oportunidade de conversar, eu (ainda sem saber contar mentiras) disse a ela que a garota do abraço era minha irmã por parte de pai (ele, sim, sabia mentir…), e que havíamos nos conhecido naquele dia. Ela não acreditou, disse que eu estava mentido, mas eu não estava. E continuamos de mal.

Minha meia-irmã me pediu desculpas, eu disse que não havia do que se desculpar. Ela até quis falar com o então quase “ex-primeiro-único-e-grande-amor” da minha vida, mas eu pedi que ela não o fizesse. Se a minha quase ex-garota não acreditava em mim, tampouco acreditaria na minha suposta amante. E prosseguimos afastados, porém não definitivamente separados.

A situação era complicada, ela esperava um pedido de desculpas por algo que eu não havia cometido. Ela queria que eu dissesse: “Eu te traí, meu amor. Perdoe a minha fraqueza…”. Mas, como eu já disse, eu nunca soube mentir. Enfim, perdi o “primeiro-único-e-grande-amor” da minha vida.


terça-feira, 18 de maio de 2010

Camisa de força



Não sei onde deixei a camisa, 
Mas não sinto um pingo de frio. 
Na verdade eu sinto mais brio, 
Posso até me banhar em um rio 
Ou morrer de abraçar uma brisa.

Não sei onde deixei a camisa, 
Mas não estou tão desprotegido. 
Eu me sinto mais forte, mais vivo. 
Se é assim, da camisa me privo, 
Quero mais é viver minha vida.

Não sei onde deixei a camisa 
E nem quero saber dela agora. 
Se alguém a trouxer, jogo fora. 
Quem daquela camisa precisa?

Não sei onde deixei a camisa 
E não faço questão de saber, 
Pois sem ela consigo viver; 
Nunca mais usarei tal camisa.


segunda-feira, 17 de maio de 2010

Errei



Nada no coração 
Uma saudade 
No mar da solidão 
Que me invade.

Tudo é escuridão 
E a dor me parte. 
Queria ter razão… 
E agora é tarde.

Faltou compreensão 
Da minha parte; 
Deixei o amor no chão, 
Eu fui covarde.


sexta-feira, 14 de maio de 2010

Hoje é diferente



Hoje é um dia diferente...

Acordei como de costume, fiz as mesmas coisas de sempre, estou com a mesma cara de doente, mas hoje é um outro dia.

Não sei se é por causa do sol que brilha mais forte e já raia queimando tudo, como tem sido nos últimos meses; talvez seja por que continuo só e ainda tenho medo de que aquela garota goste de mim pra valer.

Será que não é por causa da minha calva que só aumenta? Ou não será por que tenho ficado triste sem motivo aparente?

Hoje é um dia que trouxe consigo as mesmas coisas de sempre, mas hoje não é ontem nem amanhã.

Hoje é um dia especial, talvez... hoje é um dia tão igual que se torna um dia diferente.

— 
Nota: esse "hoje" foi 09 de março de 2010.


domingo, 2 de maio de 2010

Não te desejo mais



Não te desejo mais! 
Talvez nem queiras ouvir, 
Mas necessito dizer, 
Pois necessário se faz.

Por tudo aquilo que somos, 
Por tudo aquilo que temos, 
Só deixe-me esclarecer. 
Não te desejo mais... 
Nem te desejo menos.


Contribua

pensador.info

deviantART

Parceiros

Divulgue!

create your own banner at mybannermaker.com!

Copie este código para exibir meu banner no seu site:

Livros que estou lendo...

PerguntaÊ!